+55 (31) 9 9813-2798 eu@soucrisferreira.com.br

Como lhes prometi inicialmente, vamos falar sobre os arquétipos femininos representados pelas 7 deusas do Olimpo e através delas nos reconhecermos e nos descobrirmos.

Atena que é filha de Zeus, o deus de todos os deuses, e não conheceu sua mãe, Métis. Segundo a mitologia grega, Atena nasceu da cabeça de Zeus e, por isso, ja nasceu adulta. Atena é a deusa da sabedoria e das artes. É também o símbolo da guerra. Mas é uma mulher que luta com as armas da inteligência e da estratégia. As mulheres tipo Atenas são lógicas, estrategistas, racionais, práticas, desinibidas, seguras, não se deixam levar por emoções e sentimentos.

Despertar Atenas em nós é um caminho para o despertar da consciência. É desenvolvermos a nossa capacidade de agirmos menos com as emoções e mais com a razão. A mulher de Atenas é a mulher quem tem uma enorme habilidade de conseguir o que quer (de vencer a guerra) com sabedoria e usando as melhores estratégias. E o processo de autoconhecimento e autoestima está exatamente na nossa capacidade de reconhecermos as nossas emoções e controlar os nossos sentimentos. Atena é a mulher guerreira que equilibra a sua força com inteligência lógica, diplomacia e estratégias mais racionais e práticas que não a deixam ser levada por tempestivas emoções ou sentimentos que a prejudiquem.

Artemis, a deusa caçadora nos fez pensar sobre a importância de ter foco, de saber onde queremos chegar e como atingirmos nossos alvos. Mas e ai? Só querer, só planejar não basta. Precisamos saber como fazer. Qual a melhor estratégia usar. Por exemplo, se você estiver querendo se desligar, cortar relações com alguém, qual a melhor estratégia? Será que é promovendo uma “guerra”, uma briga, ou usando uma estratégia mais inteligente de forma que você não se desgaste e também não ganhe um inimigo? Como é que você deve fazer isso? Qual a melhor hora? Qual o tom de voz? Você já pensou que as pessoas que tomam decisões mais racionais saem menos machucadas e, consequentemente, machucam menos as outras pessoas também? Quando agimos movidos por fortes emoções ou somos muito intempestivas, em geral, o resultado é desastroso, seja na área pessoal ou profissional.

Para despertar a Atena em você e se tornar essa mulher mais sábia, te desafio hoje a aprender alguma coisa nova. Não importa o que seja. Leia uma matéria no jornal de um assunto que não domina muito ou não gosta; assista a um vídeo de uma palestra (o TED TALK tem palestras bem curtinhas com os temas mais diversos possíveis); comece a ler um livro; converse com alguém que nunca conversou ou converse com alguém mais velho, peça que lhe fale alguma coisa sobre a vida. Sei lá… o desafio é seu. Mas faça alguma coisa hoje que vá lhe deixar com a sensação de que está mais sábia, que aprendeu alguma coisa nova.

Tire um tempinho e pense na melhor estratégia que deve traçar para alcançar o que quer. Por exemplo, se quer comprar um carro, qual a melhor estratégia? Poupar ou fazer um financiamento? Se for poupar, quanto deve poupar por mês, por quanto tempo ira poupar, onde vai aplicar seu dinheiro, etc? Se for financiamento, onde vai financiar, quanto vai financiar, quanto vai pagar por mês, como vai arrumar o dinheiro para as mensalidades, etc. Use a ferramenta dos 5Ws 2Hs, pergunte sempre O que, onde, como, quando, quem (com quem ou para quem), quanto vai me custar, por que?

Atena é também a deusa da justiça, mas pode ser muito racional e muitas vezes fria e calculista. O desafio é equilibrar esse senso de justiça com uma dose de mais sensibilidade à dor do outro. O que nos diferencia dos animais irracionais é exatamente a nossa capacidade de poder pensar, refletir e racionalizar. Mas, estamos sempre num processo de amadurecimento e de crescimento, não é mesmo?

Muitas vezes, nós queremos que as pessoas sejam como a gente. Queremos que as pessoas pensem, ajam, falem como nós e que gostem das mesmas coisas que gostamos. Pior ainda é quando não somos capazes de entender que o outro tem uma historia, valores, experiências diferentes das nossas e julgamos o tempo todo.

Quando julgamos é como se estivéssemos apontando o dedo para o outro, vendo nele ou nela vários defeitos. Mas é também como se estivemos nos colocando acima do bem e do mal e acreditando que não temos defeitos. Mas esquecemos que quando apontamos um dedo para o outro, ha três apontados para nós e um apontado para cima.

Fala verdade se você não já fica muito chateada quando alguém lhe julga? Desenvolver mais empatia, ou seja, a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro, de termos mais compaixão e de não julgar é mais um dos exercícios diários que precisamos fazer se queremos nos sentir melhores e se queremos melhorar as nossas relações, sejam elas com quem for.

Desejo que você desperte ainda mais o seu senso de justiça, a força dessa mulher guerreira que age com inteligência, usando sempre as “armas” da sabedoria e da razão. Que você desperte e descubra a Atena que há em você.

P.S. Se você quiser receber meu ebook gratuitamente:“Como despertar os 7 arquétipos femininos e gerar equilíbrio, transformação e realização pessoal e profissional na sua vida” basta enviar um email para ianefa@yahoo.com.br. Aguardo você!